• 12/08/2022

O que é necessário para emitir nota fiscal? Conheça as regras e qualifique o serviço da sua empresa

Você sabe o que é necessário para emitir nota fiscal? Nos últimos anos, cresceu o número de empresas que utilizam o documento como comprovante de prestação de serviços. Assim como o …

Sistema solar para condomínios: tudo o que você precisa saber

Quando se trata de instalar um painel solar em um condomínio, primeiro é importante distinguir entre condomínios recém-construídos ou já construídos. Os imóveis recém-construídos vendidos como habitações verdes são basicamente concebidos …

Atribuições e características de uma boa recepcionista

Podemos destacar que a qualidade do recepcionista será sempre testada no trabalho diário. Esses profissionais são o cartão de visitas da empresa, interagindo com vários clientes, cuidando de questões e organizando …

Primeiramente, felicidades para o casal! Estamos muito contentes pela iniciativa de vocês juntarem as escovas de dente e morarem juntos. Mas, como bem sabemos, unir duas pessoas embaixo do mesmo teto implica em novas responsabilidades e em novos desafios. Por isso, vamos ensinar a você como dividir as contas do casal!

Essa tarefa pode não ser tão simples quanto parece. São muitas coisas que implicam no bom funcionamento da vida econômica dos pombinhos apaixonados. Afinal de contas, quando falamos em casal, estamos falando de duas realidades diferentes, dois salários e duas mentalidades distintas para a economia. 

Por isso, ao longo deste texto, você vai se deparar com três histórias de três casais. Cada um deles possui a sua responsabilidade e os seus desafios. O que cada um deles tem em comum: todos desejam aprender a como dividir as contas do casal proporcionalmente. 

Durante este artigo, você vai aprender:

  • a importância da individualidade;
  • quais contas ficam fora da conta conjunta;
  • como dividir as contas do casal;
  • como organizar as contas pelo salário.

Por isso, se você quer evitar as famosas “discussões de relacionamento” por conta de assuntos financeiros, continue lendo este texto! Do mais, faça uma boa leitura e que vocês sejam muito felizes! 

Realidades diferentes, medidas diferentes

Para fazer esse texto, nós não poderíamos ignorar que existem muitas realidades de casais no Brasil, não é mesmo? Fazer um artigo que representasse apenas uma situação poderia confundir os leitores. Pior ainda: poderia acarretar em decisões que não seriam benéficas para o seu tipo de realidade. 

Por isso, decidimos trazer três casais com realidades, rotinas e deveres diferentes. Cada um deles sofre com uma necessidade que pode ser resolvida com uma simples e justa divisão das contas. 

No meio das diferenças, a individualidade

Entretanto, antes de começar a falar sobre cada um dos nossos pombinhos, precisamos abordar outro assunto que é essencial na hora de entender como dividir as contas do casal proporcionalmente. Estamos falando da individualidade. 

De acordo com o Índice Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem 214 milhões de brasileiros. Cada um desses habitantes possui uma história e uma realidade, que devem ser respeitadas e levadas em consideração em todas as questões de sua vida. 

Antes de investir, você não procura conhecer o seu perfil de investidor? Isso acontece porque um investimento que é bom para uma pessoa pode não ser eficiente para o seu caso. 

Por isso, precisamos entender que, na hora de aprender a como dividir as contas do casal, precisamos levar as duas personalidades em consideração. Se vocês são um casal que ama viajar, vocês precisam criar um investimento que contemple essa meta. Mas, caso vocês queiram ter um filho, outro tipo de poupança deve ser feito, visando o futuro dessa criança. 

Como dividir as contas do casal: conhecendo os pombinhos

Vamos, de uma vez por todas, aprender a como dividir as contas do casal proporcionalmente? Cada uma dessas histórias e exemplos proporcionarão um jeito efetivo e seguro para a separação das dívidas. 

Portanto, cabe a você descobrir qual é o melhor método que contempla a sua realidade. Sem mais delongas, vamos nessa! 

Divisão meio a meio: Marcio e Paloma

Marcio e Paloma estão juntos há muitos anos. Atualmente, eles possuem dois filhos, João, de 15 anos, que estuda em uma escola particular, e Daniele, de dois anos, que fica em casa com a babá. 

Por trabalharem no mesmo ramo, o casal ganha aproximadamente o mesmo salário: R$3.500. Eles vivem em uma casa alugada e estão guardando dinheiro para dar uma entrada na casa própria. 

Somando água, luz, gás, internet, gasolina, escola, mercado, aluguel da casa e o salário da babá, as contas fecham, todos os meses, em R$4.770. Os valores podem oscilar, mas, geralmente, eles conseguem manter este padrão. 

Como Marcio e Paloma possuem, basicamente, o mesmo salário, os dois acham justo dividir igualmente as contas. Portanto, no final de cada mês, eles separam R$2.385 para as despesas da casa. 

Neste cenário, o casal ainda possui, de sobra, mais de R$1.100 de cada um dos salários. Para construir a casa própria, Marcio e Paloma separam R$500 reais cada um e investem no Tesouro Direto. Assim, ainda sobram R$600 cada para recreação e lazer com as crianças. 

Nesta historinha, você teve um esboço de como dividir as contas do casal na categoria “meio a meio”. Ou seja, os dois integrantes possuem a capacidade de dividir as contas pela metade.

Divisão proporcional ao salário: Guilherme e Eduardo

Guilherme e Eduardo vivem juntos desde a faculdade. Com o passar dos anos, Gui conseguiu um emprego em uma empresa local e ganha R$2,5 mil por mês. Eduardo, por sua vez, conquistou um emprego em uma multinacional e, atualmente, ganha R$5 mil.

O casal acabou de adotar um casal de gêmeos, Adriel e Marcela. Os dois ainda são pequenos, mas os papais de primeira viagem já desejam economizar para que os dois tenham uma boa educação no futuro. 

Como possuem casa própria, eles não gastam com aluguel, mas contrataram uma empregada e uma babá para cuidar dos filhos durante os dias de semana. Por isso, no final do mês, eles gastam cerca de R$4.200. Na hora de dividir as contas, Guilherme e Eduardo perceberam que a diferença salarial entre os dois era o dobro. 

Portanto, um jeito de auxiliar na divisão das contas foi que Guilherme daria uma quantia do dinheiro e Eduardo aplicaria o dobro. Ou seja, enquanto o primeiro paga R$1.400, Dudu ajuda com R$2.800. Assim, os dois pagam a mesma coisa em proporção ao salário de cada um. 

Como os dois estão investindo em um Certificado de Depósito Bancário (CDB) que rende 150% do CDI para o futuro educacional dos gêmeos, os dois seguiram a mesma lógica para depositar no fundo. Enquanto Guilherme aplica 500 reais, Eduardo coloca R$1 mil. 

No final do mês, Guilherme fica com R$600 e Eduardo com R$1.200. Neste caso, vocês aprenderam a como dividir as contas do casal proporcionalmente.

Divisão preestabelecida: Maria Clara e Vitória

Maria Clara e Vitória também vivem juntas há muitos anos, mas cada uma possui uma realidade muito diferente. Enquanto a primeira trabalha de casa e ganha, aproximadamente, R$1.500, a segunda é funcionária pública e ganha um salário cinco vezes maior. 

Por causa dessa disparidade entre salários, Maria e Vitória deram um jeito para que as duas consigam ajudar nas contas da casa. As duas possuem gastos de água, luz, condomínio, aluguel, internet e gasolina.

Os dois primeiros gastos citados contabilizam, juntos, R$430. Por isso, as duas decidiram que Maria Clara ficaria responsável por pagar a água e a luz. Enquanto isso, Vitória paga as outras despesas. E, é claro, na hora de sair, quem paga a conta é a funcionária pública!

Como você deve ter percebido, essa divisão não é proporcional ao salário e, muito menos, igualitária. Entretanto, esse foi um acordo criado pelas duas pessoas e que traz harmonia e entendimento para o casal. 

Mas e para o meu casal?

Você deve ter se identificado com um dos nossos casais citados acima, não é mesmo? O que importa é que você e seu parceiro ou parceira entrem em consenso para decidirem, juntos, qual é a melhor opção para o casal. Essa decisão precisa ser tomada levando em consideração o planejamento financeiro da família como um todo.

Por isso, na hora de sentar para decidir como dividir as contas do casal, coloque esses pontos em consideração:

  • salário de cada um;
  • metas do casal para o futuro;
  • metas individuais;
  • pontos que podem ser economizados;
  • gastos que não são previstos.

Assim, vocês poderão decidir, juntos, qual o melhor jeito de dividir as duas despesas mensais. Vale lembrar que um casal que discute finanças juntos, permanecem unidos para sempre!